top of page

Sentes-te desmotivado?


Quando estava a iniciar esta minha jornada no fitness, ficava empolgado com todos os artigos que via a respeito do tema. "DICAS", "SEGREDOS", eram todos bem vindos. E o objectivo era aprender para poder aplicar. A promessa de um corpo esculpido exatamente como imaginei, a curiosidade e o gosto pelo processo eram a combinação perfeita. Em busca por esse conhecimento viajei para terras distantes. Andei de autocarro, comboio e de boleia no mesmo dia. Dormi ao relento, e todo o dinheiro que tinha ( que não era muito) era gasto com isto. Parece coisa de malucos, mas é para vocês terem uma ideia do quanto eu queria aprender.


A minha ideia nunca era apenas usar isso comigo. Lembro-me de, depois de ter conhecido o meu primeiro preparador, eu querer contar a toda a gente que estava no meu grupo (que partilhava o gosto pelo treino) tudo aquilo que ia aprendendo com ele. O pouco, parecia tanto. Uma técnica de treino diferente. Uma teoria qualquer. Uma sequência de exercícios. As particularidades da dieta. Lembro-me de uma das viagens que fiz, ter que ser feita em segredo. Nessa altura estava a ir contra aquilo que o meus patrões queriam para mim. Queriam que eu enveredasse pelas aulas de grupo, mas eu não queria. Queria ajudar as pessoas na sala de musculação. Jamais poderia pedir 3 dias de folga para poder fazer esta viagem, havia uma formação sobre culturismo e eu tinha que estar presente. Inventei apenas uma gripe grave e temporária. E lá fui eu.


Ao fim de tantos anos, ainda fico contente pela passagem de conhecimento, tanto na posição de aluno, como de professor. Por vezes apenas relembramos aquilo que já sabíamos. Dito por outras línguas, com outros termos, mas tudo se mantém igual. Essa dinâmica alimenta-nos a paixão. Se por ventura te sentires desmotivado com treino, com dieta, experimenta aprender um pouco mais a respeito. Vais ver como essa chama é reactiva.


Nos dias de hoje, entendo que não há dicas, nem segredos. Que tudo se resume, em grande parte ( de uma forma generalizada ) á consistência das nossas acções. Acções correctas, repetidas vezes e vezes sem conta.

Mas ainda assim, reconheço o valor da partilha e a beleza desta dinâmica.


Reconheço a presença, ainda que por vezes desagradável, do teórico. Que sabe os livros de cor, tem muito conhecimento mas pouca sabedoria. Que por vezes não é mais que um papagaio a recitar o estudo que leu ou o que ouviu num podcast. E acha que já sabe tudo. Este contrasta com a pessoa que baseou toda as suas ações com base na intuição e que a dada altura, criou mitos na sua cabeça, associando conceitos que nada têm a ver. A qualidade da nossa percepção é bastante limitada, somos facilmente induzidos em erro por palavras como: "sinto que"


Dir-te-ia para buscares um pouco de cada um. Não fujas do estudo, mas não solidifiques o teu conhecimento sem o colocar em prática, não ignores a tua intuição, mas não deixes que se sobreponha á parte racional. Um pé num lado e um pé no outro.

Sentes-te desmotivado? Mantém-te curioso.



Comments


bottom of page