top of page

Quando te comparas com os outros.. É algo bom, mau, ou ambos?




Sei o quão difícil pode ser não nos subjugarmos à, por vezes, inevitável comparação. A maioria das pessoas, onde eu me incluo também, ainda operamos ( não sempre, mas com bastante frequência ) a um nível muito básico. Comparando arbitrariamente qualquer ponto da nossa vida com alguém que está claramente passos á frente. Uma dessas esferas de comparação é a esfera física. Vemos alguém que está em boa forma física e sentimos-nos tentados a avaliar a nossa forma física com a mesma régua. E não sei se devamos considerar isso como algo mau. Talvez, o que vai ditar se isso é mau ou bom é o resultado que advém dessa comparação. E quando falo do que advém dessa comparação, não me refiro a sentimentos. Refiro-me a ações. Sendo mais concreto.


Se eu vejo uma pessoa em boa forma, e eu ao comparar-me, sinto que poderia estar melhor, poderemos considerar 2 desfechos.


No primeiro desfecho, eu não faço nada a respeito ou até desisto do que estava a fazer. Bloqueio qualquer possibilidade de progresso.


No segundo desfecho, eu percebo que posso cuidar melhor da minha dieta, que posso melhorar ou aprender mais sobre treino e que posso ter um nivel de compromisso maior nesse objectivo específico.


E isso poderia ser algo positivo, correcto? Depende.


Vamos procurar especificar mais. Se eu começo agora a abraçar a ideia de me parecer com o alvo da comparação, (vou exagerar aqui no exemplo ) e o alvo da comparação é Phill Heath.

Essa ideia pode levar-me por uma sequência de decisões que podem fazer mais mal do que bem. E parto de um principio errado, o principio de que isso é possivel. Essas más decisões podem partir dessa premissa errada e são alimentadas muitas vezes por falta de conhecimento, outras vezes por desespero, e a maior parte das vezes, por ambas. Nesse caso, eu poderia achar que é possivel atingir um fisico como o do Phill e achar por ignorância, que tal se trata apenas de tomar anabolizantes. E por desespero, tomo o máximo que posso. Isso vai trazer consequências reais e negativas para a minha saúde mental, fisica e para minha vida de uma forma geral.


Qual a solução?


É uma tema complexo e não quero pretender que esta solução se pode encaixar em todas os cenários, mas talvez possa ser útil:


  • procurar conhecimento e informação ( se eu perceber que o fisico do PHILL é resultado de genética, um nivel de compromisso sério, condições financeiras e um ambiente propício a, tudo ficará mais claro. Agora sou menos burro, menos iludido. Posso até perceber que o preço que tenho que pagar não vai de encontro ao que quero para mim, e isso é legitimo. )

  • Usar outros como motivação, mas usar-me a mim mesmo como métrica para avaliar o progresso. Se estou melhor que ontem, estou a progredir.


Desta forma, poderei estar protegido contra a ignorância ( nunca totalmente, porque a vida é complexa e não sabemos tudo, nunca saberemos ) e poderei estar alimentando por um objectivo realista, estar melhor que ontem, pior que amanhã.

Comments


bottom of page